Apitos Ultrassônicos

Ajude a diminuir morte de animais silvestres nas estradas

Assista ao vídeo convite da pesquisadora Anne-Sophie e obtenha abaixo mais informações sobre o projeto.

 

O projeto de utilizar apitos ultrassônicos nos veículos para impedir o atropelamento de animais nas estradas entra em sua segunda fase em agosto de 2015 e a ONG Caminho das Águas procura motoristas parceiros para testar o dispositivo na Estrada Parque, entre Itu e Cabreúva, no estado de São Paulo. No experimento, com duração de quatro meses, serão utilizados 15 pares do modelo de apito importado da França.

Quem morre mais

O uso dos apitos ultrassônicos, uma iniciativa da REDE VERDE CONSERVATION NETWORK (RVCN), tem como objetivo mitigar os atropelamentos de animais e Anne-Sophie Bertrand, pesquisadora responsável pelo projeto convidou a Caminho das Águas e a Baia Hacker para aprofundar o estudo sobre a utilização de apitos ultrassônicos em veículos automotores nas estradas de nossa biorregião.

A fase piloto do projeto, realizada em 2013, mostrou que os assobios ultrassônicos podem auxiliar positivamente na mitigação dos efeitos dos atropelamentos da fauna pelo trânsito de veículos em áreas ricas em fauna silvestre, podendo contribuir muito para diminuir os conflitos entre os usuários dos trechos problemáticos e os gestores de áreas de conservação.

Resultados em 2013

Atropelômetro

Talvez você não conheça ainda o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE), organização que desenvolve atividades de pesquisa, capacitação e desenvolvimento de tecnologias relacionadas à ecologia de estradas. Segundo estimativas do CBEE, 15 animais morrem nas estradas brasileiras a cada segundo. Diariamente, devem morrer mais de 1,3 milhões de animais e ao final de um ano, até 475 milhões de animais selvagens são atropelados no Brasil. A região Sudeste é a que apresenta a maior ocorrência de mortes e o estado de São Paulo lidera as estatísticas.

Seja um parceiro

Para participar você precisa trafegar regularmente pela Estrada Parque entre Itu e Cabreúva ou em outra estrada em alguma Unidade de Conservação de nossa biorregião. Sua atividade será, uma vez instalados os apitos em seu veículo, preencher o formulário simples quando avistar algum animal durante seu trajeto. Daremos todo o suporte necessário.

Todos os participantes desta pesquisa receberão um Certificado de Colaborador na Pesquisa Federal 37307. Aos universitários interessados em colaboração científica estamos abertos para parcerias e conversação.

Se você deseja participar envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou entre em contato pelo WhatsApp (11) 9 9245.9599

 

Saiba mais:

Leia o relatório da 1ª fase pesquisa: download aqui

Rede Verde: http://www.rede-verde.org/

CBEE: http://cbee.ufla.br

Baia Hacker: http://hackerspace.mitotes.eco.br/